Nossa História


Foi em 1953 que o Ca’d’Oro começou, e seu primeiro slogan já dizia: “Ca’d’Oro um restaurante diferente”. E realmente era diferente de tudo o que existia em São Paulo em termos de gastronomia italiana. O fundador, Fabrizio Guzzoni, havia chegado da Itália com dois filhos e sua esposa brasileira, e abriu o primeiro restaurante Ca’d’Oro na rua Barão de Itapetininga.

Guzzoni chegava ao Brasil com vasta experiência adquirida primeiramente nos hotéis do pai Aurelio, e também no Savoy de Londres, e no Lausanne Palace na Suíça. No hotel de seu pai, o Grand Hotel Moderno em Bergamo, Itália, recebeu hóspedes como Ernest Hemingway, Luigi Pirandello, e o General Bernard “Monty” Montgomery.

Na mudança a São Paulo, vieram com Guzzoni também dois chefs; Alberto Micheletti e Emilio Locatelli, e dois gerentes; Edwin Prieth e Michele Brusa. Os cinco formavam a equipe ideal que se tornou responsável por um série de inovações gastronômicas sofisticadas, que conquistaram o público e estabeleceram o Ca’d’Oro entre os mais importantes restaurantes da cidade.

Desde o início, Guzzoni tinha como projeto abrir um hotel e, no conceito dele, um bom hotel começa com um ótimo restaurante. Assim, em 1956 surgia o Hotel Ca’d’Oro na rua Basílio da Gama. O hotel manteve o mesmo ritmo de expansão, e em 1965 surgia o Grand Hotel Ca’d’Oro na sua versão cinco estrelas. Foi inaugurado na rua Avanhandava e era o primeiro hotel com piscina na cidade. Em 1978, foi ampliado para a rua Augusta que passou a ser a entrada principal, passando a ter duas piscinas, uma panorâmica e outra externa, no jardim do hotel.

Entre os hóspedes ilustres, o Ca’d’Oro recebeu: Rei e Rainha da Espanha, Rei e Rainha da Suécia, Nelson Mandela, Pablo Neruda, Gore Vidal, Linus Pauling, José Carreras, Luciano Pavarotti, os brasileiros Jorge Amado, Mário Quintana, Emiliano Di Cavalcanti, Vinicius de Moraes entre incontáveis outras personalidades que marcaram a história. A suíte presidencial também já serviu de gabinete ao Presidente da República João Figueiredo, que transformou o Ca’d’Oro em sede do governo federal por 15 dias, enquanto passava por tratamento em São Paulo.

Em 2009, antevendo a revitalização do centro agora em curso, iniciou um novo projeto: o CA’D’ORO SÃO PAULO. As três torres que compunham o Grand Hotel foram substituídas por dois novos prédios e um conceito moderno, o "MIXED USE", que vem provando ser um sucesso no mundo inteiro. O primeiro foi dedicado para uso exclusivo residencial, com unidades de alto padrão, todas vendidas em menos de 4 dias. O segundo prédio abriga 387 unidades comerciais, dedicadas a escritórios, consultórios e empresas que prezam por fazer parte desta história de tradição e sucesso; além do novo e reformulado HOTEL CA`D`ORO, com 147 apartamentos espalhados nos últimos 9 andares da torre, com vista deslumbrante da cidade, além de seu renomado restaurante de cozinha regional norte italiana.

A família Guzzoni dá agora prosseguimento à sua tradição hoteleira que vem sendo transmitida de pai para filho desde o início do século passado, tradição esta que foi fielmente registrada através das palavras de Celso Nucci e Marília Scalzo no livro GRANDE HOTEL - Ca`d`Oro, história de cultura hoteleira centenária, da editora SENAC, disponível nas melhores livrarias.